MATIAS LARANJEIRA CARTAXO nasceu no Recife (PE), em 7 de dezembro de 2009, e Deus lhe reservou uma forma diferente de começar a vida. Com uma paralisia cerebral, lisencefalia e agenesia de corpo caloso diagnósticadas - fato que acarreta atraso motor e não lhe dá prognóstico clínico de suas possibilidades de andar, falar e de como se desenvolverá sua inteligência - Matias tem tido uma vida bastante agitada e abençoada. Sua rotina semanal inclui sessões de fisioterapia, terapia ocupacional, natação e fonoaudiologia, além de muitos exercícios e estímulos em casa. Mas o pequeno Matias vem surpreendendo a todos com sua personalidade tranquila e alegre, bem como o seu jeito curioso e meigo de ser! Acompanhe um pouco mais da sua linda trajetória de vida e as reflexões de mamãe e papai nesse blog especial !

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Reflexão dos 3 anos com Matias


Não sei se esta é a melhor hora para começar a escrever esta reflexão, mas quem sabe estar sensível vai me ajudar a me desprender de qualquer tipo de cuidados com as palavras ou sentimentos.

Eu queria mesmo era fazer um resumo destes três anos de vida de Matias.

Primeiro o luto, o amor que dói... Ai, e como doía. Essa dor, essa preocupação, essa rejeição não me permitia ver quem quer que fosse que estivesse na minha frente. O meu filho, aquele com o qual sonhei e planejei por toda minha vida, nunca existiu e no seu lugar veio uma criança cheia de desafios, com os quais nunca sonhei ou quis passar. Não, não era pra ser assim. E agora, o que vai ser dele? O que vai ser de mim? E aquele meu filho que eu tanto queria, não dá pra trocar????????  Não, não dava...

Esse luto foi muito forte, principalmente no primeiro ano. As experiências vividas com outras mães e seus filhos muito se diferenciava da minha. Busquei na minha fé em Deus ajuda, consolo e tentar não entender, mas aceitar. Também busquei ajuda profissional, a terapia também tem me ajudado muito... Fui procurando minha identidade de volta, me separar do meu filho, busquei meu tempo com o “mundo” para poder sair dessa relação mãe/filho muito ligada ainda, muito narcisista... Eu, uma pessoa ligada às artes, que aprecia o que é belo e sempre muito exigente comigo, eu mesma gerei um filho “imperfeito”. Há se eu pudesse corrigir como faço com minhas pinturas, ou reorganizar, planejar, como faço com a arquitetura. Do jeito que eu quero. Nesse caso, não dava.
Passou-se o primeiro ano e junto com ele a dor foi se acalmando, olha, já conseguia ver o menino, e como ele é bonitinho, fofo mesmo. Mas eu ainda desejava que ele fosse diferente, eu ainda o comparava as outras crianças e sofria, doía. Nossa luta, incansável através das terapias, foco, vamos lá... Aos poucos as conquistas chegavam. Começou a ficar sentado, tomar líquidos pelo canudo, mastigar, sua coluna numa melhor postura, ficar de pé com apoio, engatinhar com ajuda nas pernas... E como é simpático esse menino! Resistente como qualquer criança pra fazer o que não quer, principalmente nas terapias, mas não tenho do que me queixar, sempre dormiu bem (dez horas seguida durante a noite), come muito bem, é acessível às pessoas que, claro, tem que conquistá-lo. E assim se passou o segundo ano. Eu já o enxergava!

Logo entrou na escola e deu um salto na sua independência. Agora eu estava nos bastidores, como costumo dizer. Sua cognição estimulada e o entendimento deram um salto. Hoje entende tudo o que digo, aponta e balbucia mostrando o que quer. É parte de um grupo. Algo que é só dele... Esse universo da escola é realmente fascinante! E embora tivesse a questão de encarar que seu filho é o “diferente”, ele foi aceito no seu grupo. Mas sei que eles são muito pequenos e daqui a pouco formarão suas “panelinhas”, penso... Será que Matias fará parte de alguma delas? Vão tirar sarro com ele?

Ei, isso é outra coisa que tenho aprendido, a deixar a fantasia do que estar no futuro passar e não fazer morada na minha mente. São tantas outras, que da até pra rir... Será que vão chamá-lo pras festinhas de aniversário? Será que ele vai casar? Vai ser independente? Pode parecer ridículo agora, mas elas passaram por minha cabeça e tem algumas que ainda dão umas voltas, mas as mando embora novamente. E quanto ao sarro que possam a vir tirar dele, quem nunca passou por isso? Tenho fé que ele saberá dar conta. Tenho que apostar nisso.

Suas órteses foram sendo trocadas com o tempo, acho tão lindo isso, ele tá crescendo. É um registro marcante. Hoje ele está de órtese nova (rígida) e usa tênis! Matias só teve dois tipos de botinhas, onde usava uma palmilha, mas agora já não suportava seu peso, ele está crescendo e pode usar outros sapatos, contanto que caibam as órteses novas. Hoje, o uso de órteses, ou aparelhos que ajudem Matias são uma bênção pra mim... Ainda não sabemos se precisará de cadeiras de rodas, por enquanto usa o carrinho. Com certeza usará o andador. Que venham, venham para auxiliá-lo. O importante é conquistar, mesmo que de forma diferente.

Todo esse tipo de aparato chama atenção. Os olhares! Sinceramente, prefiro o olhar curioso, pode até vir me perguntar. Ei, eu também tive que aprender. Não sabia de nada disso. Não sabia que a paralisia cerebral tem diversos níveis, não sabia do alcance do desenvolvimento através do estímulo precoce. A fisioterapia pra mim era pra cuidar de pessoas que se machucavam, terapeuta ocupacional eu nem sabia o que era!
Por isso quero expor meu filho, ele não tem nada o que esconder. Pessoas com necessidades especiais deviam estar em todo canto, sim, por que elas existem aos montes. Acredito que nos tempo de hoje, isso só não aconteça mais por conta da falta de acessibilidade, isso sim os exclui do convívio social. Infelizmente nosso país tem um longo caminho a trilhar. Contudo, eu vejo que estou saindo do luto à luta, as posturas são totalmente diferentes, uma olha pra baixo a outra olha pra frente. Hoje consigo ver Matias como indivíduo, separado de mim, e ele merece todo o meu respeito, como não aceitá-lo por ser diferente, como? Por que não eu?

Disse no início que precisava do mundo para poder cortar um pouco essa relação mãe/filho... Hoje procuro Matias pra cortar um pouco minha relação Paula/mundo. Procuro-o para trazer alívio, calma, paz... É engraçado, realmente o tempo é uma dádiva, algo que saboreamos lentamente e por conta disso mesmo nós ficamos mais maduros, mudamos de dentro pra fora.
Nunca quis fantasiar nossa história com Matias, acredite, não é um caminho fácil. Meu filho não é anjo, meu filho é um menino com necessidades especiais que tive dificuldade de aceitar porque é diferente! Eu queria ser igual a todo mundo! Fazer parte! Mas Deus me chamou sim, através de Matias, para trilhar novos caminhos, para romper padrões, para remar contra a maré, pra encontrar paz, alegria, vida em meio a uma confusão de sentimentos. Ele tem esticado minha fé, me pondo à prova. Dele eu não largo, não arredo o pé... Agora entendo a luta com o anjo, eu tenho lutado e clamado ao único que tem o poder de mudar nossa história, ao único a que devo toda honra, toda minha gratidão independente das circunstâncias.

Aprendi também que dor não se compara e que cada um tem a sua, desde um(a) adolescente que levou um fora da(o) namorada(o), a um amputado ou alguém que recebeu um diagnóstico de câncer, é a dor deles, é particular.
A sociedade tem um alto padrão para o que é sucesso, para o que é belo, saudável e isso vai sendo enraizado em nós. Eu me sentia então em dívida (como bem colocou minha terapeuta) com a sociedade por ter tido um filho “imperfeito”. 

No final das contas percebemos que não temos o controle, eu não tenho. Podemos ir até certo ponto e fazer nossas escolhas com o que a vida nos traz. O segredo é a gratidão, é conseguir ver o quanto temos que agradecer por tantas outras coisas maravilhosas em nossas vidas. Sim, no mundo de hoje isso é um exercício contínuo que temos que fazer. Decidir acreditar! Eu decido acreditar, acreditar num Deus de amor e que tem o controle.
Continuo clamando por cura na vida de Matias, ela já vem acontecendo, algo além do físico. Uma vez li que a dor tem o poder de libertar, entendo que essa dor que cura é pra mim e não para Matias. A cura dele não passa do plano físico, cognitivo... pelo menos por enquanto, e ela acontecerá conforme a vontade e propósitos do Senhor, eu sempre vou estar lutando com ele fazendo o que for da minha parte.

O que posso dizer agora, é que começo a contemplar a Holanda, e estou achando que é um lugar fantástico!!
Pra que quiser entender :

"Ter um bebê é como planejar uma fabulosa viagem de férias - para a ITÁLIA! Você compra montes de guias e faz planos maravilhosos! O Coliseu. O Davi de Michelângelo. As gôndolas em Veneza. Você pode até aprender algumas frases em italiano. É tudo muito excitante!

- Após meses de antecipação, finalmente chega o grande dia! Você arruma suas malas e embarca. Algumas horas depois você aterrissa. O comissário de bordo chega e diz:
- BEM VINDO À HOLANDA!

- Holanda!?! - Diz você. - O que quer dizer com Holanda!?!? Eu escolhi a Itália! Eu devia ter chegado à Itália. Toda a minha vida eu sonhei em conhecer a Itália!
Mas houve uma mudança de plano vôo. Eles aterrissaram na Holanda e é lá que você deve ficar. A coisa mais importante é que eles não te levaram a um lugar horrível, desagradável, cheio de pestilência, fome e doença. É apenas um lugar diferente. Logo, você deve sair e comprar novos guias. Deve aprender uma nova linguagem. E você irá encontrar todo um novo grupo de pessoas que nunca encontrou antes. É apenas um lugar diferente. É mais baixo e menos ensolarado que a Itália. Mas após alguns minutos, você pode respirar fundo e olhar ao redor, começar a notar que a Holanda tem moinhos de vento, tulipas e até Rembrants e Van Goghs.

Mas, todos que você conhece estão ocupados indo e vindo da Itália, estão sempre comentando sobre o tempo maravilhoso que passaram lá. E por toda sua vida você dirá: - Sim, era onde eu deveria estar. Era tudo o que eu havia planejado!.
E a dor que isso causa nunca, nunca irá embora. Porque a perda desse sonho é uma perda extremamente significativa. Porém, se você passar a sua vida toda remoendo o fato de não ter chegado à Itália, nunca estará livre para apreciar as coisas belas e muito especiais sobre a Holanda. "

BEM VINDO À HOLANDA!
por Emily Perl Knisley, 1987

10 comentários:

  1. Paulinha, vc é um exemplo de mãe, mulher... é um ser humano extramamente admirável... Sua garra e sua força são surpreendentes... Parabéns simplesmente pelo que vc é, te admiro demais...

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelos 3 aninhos do Matias, Paula. Parabéns pelos 3 bem vividos anos desse menino lindo. Está nas conquistas dele, a mãe que você é. Essas tuas palavras nos ensinam muito. Nossos problemas, nossas fraquezas, nossa impotência...nossa vontade. Esse espaço do Matias é uma lição de coragem e de Amor! Obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Fico muito agradecida pela coragem de mães como vc ao expor sentimentos que todas nós temos em relação aos filhos que não são aqueles pelos quais esperávamos, me sinto menos só...Parabéns querido Matias, que vc seja abençoado cada vez mais com muita saúde e felicidade!!!! Que Deus te abençoe!!!

    Beijos carinhosos da Lelê

    ResponderExcluir
  4. Minha amiga linda
    Como no filme O Auto da Compadecida...tinha um tal de Chicó que era contador de estórias impossíveis, e quando contava, no final dizia: "Num sei, só sei que foi assim", quando alguém perguntava: "Mas como isso aconteceu?".

    Então, vai chegar um dia de vitória que tu vai contar pras pessoas a história de Matias com todos esses milagres que você vive junto com Marcelo. E as pessoas vão perguntar, mas como isso aconteceu? como é possível? E tu vai rir e dizer...num sei, só sei que foi assim! Hahahahah...(mas depois pode dizer que o dedo de Deus tocou mat).

    Você merece nota 10, Marcelo nota 10 e meio porque ele te aguenta mais kkkkk e Mat não tem nota humana pra ele porque o padrão dele é muito superior ao deste mundo.

    Eu acho maravilhoso ler tudo que vocês postam porque sou participante deste milagre através da oração. Orar vale a pena!!!

    Parabéns! bjão.

    ResponderExcluir
  5. Um momento que não vou esquecer

    Estávamos numa reunião de oração na casa de Paulinha. Quem estava pregando a palavra de Deus, no final, disse: Vamos orar o pai nosso, vamos dar as mãos e orar o pai nosso.

    Como sei que Matias não curte que alguém segure a mãozinha dele, eu apenas "disponibilizei" a minha mão pra ele, se ele quizesse, ele pegaria...imagina, tchan tchan tchan...Matias segurou minha mão direita e segurou querendo mesmo, com os dedinhos apertando a palma da minha mão.

    Minha gente, imaginem a cara de Paulinha? kkkkkkkkkkkkkk Ele parou de orar o pai nosso e ficou com a boca aberta, só olhando a minha mão e a de mat, juntinhas e por iniciativa dele, detalhe.

    Então, eu confesso, eu to me sentindo o máximo!!! kkkkk Ainda bem que foi comigo, obaaaaaaaaaaaa!!! Adorei esse presente!!! Eu acho que minha estratégia funcionou né amiga? Além de que senti que mat gosta de mim.

    Um pequeno milagre, mas pequeno, em Matias, nunca é pequeno...

    Posta aí amiga, num tópico. beijão

    ResponderExcluir
  6. Lindas palavras... tão bom por para fora os sentimentos né? Admiro vcs e agradeço por terem feito esse blog, o Miguel é semelhante ao Matias e estou passando pelo que vcs já passaram... O 1º ano foi difícil mesmo, o luto, a dor... enfim, venci o 1º ano agora e ainda tou administrando o misto de sentimentos, mas graças a Deus tb enxergo ele como um indivíduo, lindo e cheio de vontades. Nossos filhos tem dificuldades? Sim, mas estamos dispostas a ajudá-los a superar! Parabéns pelo trabalho de vcs... O Matias está perfeito ^^

    ResponderExcluir
  7. Paulinha, amiga - digo amiga com a maior naturalidade do mundo - adorei ler essa postagem. somos bem parecidas na medida em que n nos envergonhamos de falar a verdade sobre os sentimentos. acho q essa postura sincera perante a vida nos ajuda muito a encarar qq coisa de frete. se não nos enganamos, a vida n vai nos enganar. e assim, nos sentimos livres para amar quem quer q seja. inclusive, os pequenos imperfeitos. vivo dizendo ao antonio q ele é o estragadinho mais perfeito do mundo. nossos tres anos aqui tb foram cheios de reflexões. mas o saldo, como o seu foi positivo. olhar pra trás e ver como eu e antonio estamos melhores hj - cada um na sua área - dá uma paz e uma alegria q só outras pessoas como vc podem entender. beijo grande e tudo de bom sempre!

    ResponderExcluir
  8. Incrível Paulinha. Não para de aprender com você, Matias e Marcelo. Não tenha dúvidas que Deus usa vocês imensamente para ensinar e abençoar as pessoas. Te amo.

    ResponderExcluir
  9. Olá. Procurando sobre células tronco, deparei-me com seu blog. Estou começando uma Pós de Psicopedagogia, e o meu seminário será sobre Paralisia Cerebral.

    Parabéns pela linda família, o Mathias é lindo e aqui olhando as fotos custo a acreditar que ele alguma coisa diferente de qualquer outra criança.

    Sou mãe de uma menina 7 anos, e trabalho como voluntária na Evangelização Infantil.

    Que Deus proteja muuuuito vocês, que a cada dia possa ser uma vitória, e persevere sempre, pois todos nós que de uma forma ou outra conhece um pouco de sua história, vida, dia à dia, estará vibrando por todos.

    Fiquem com Deus.

    Bjkas,

    Katia Freitas

    ResponderExcluir
  10. Paula, que testemunho de AMOR e de FÉ!!!
    Estou tão emocionada com suas palavras que fiquei sem nenhuma para te parabenizar pela MÃE que é, exemplo de MULHER GUERREIRA.. .
    Realmente Deus deve ter escolhido, em especial vc para compartilhar sua experiência, até pela forma que vc faz...Um modo simples e tão sincero, chega a ser tão profundo que não tem como não emocionar...
    Suas palavras se tornam momento de reflexão para toda MÃE, porque toda mãe ver seu filho de modo especial e diferente...Eu, estou simplesmente encantada com a espontaneidade com que partilha sua vivência...Muito útil e singular, um dia eu tb gostaria de testemunhar algo particular que contribuísse para edificação de pessoas.
    Nem sei se vc lembra de mim, fui a um louvor na sua casa com Juli Cortez, e para falar a verdade, não percebi nada de diferente em Matias, a não ser a beleza dele que prende nossa vista a dele, só depois que vc compartilhou sua experiência é que entendi...Grande bj Magui

    ResponderExcluir